Vegetarianismo e Diabetes

0
1213

“A diabetes do tipo 2, é quase sempre prevenível, muitas vezes tratável, e por vezes pode mesmo ser revertível através de mudanças na dieta e no estilo de vida.”

– Dr. Michael Greger, “Como não Morrer”

Este artigo baseia-se na informação do site Nutritionfacts.org, que é revista por um médico.

O que é a diabetes ?

A diabetes apresenta dois tipos diferentes. Estão ambos relacionados com a insulina, que é a molécula que possibilita que o açúcar entre nas células. Na diabetes de tipo 1, há insuficiência na produção de insulina, porque as células beta do pâncreas que produzem a insulina podem deixar de a produzir. Na diabetes de tipo 2, que é muito mais comum, há resistência ao uso da insulina pelas células, porque a gordura que está dentro delas pode bloquear a acção da insulina, mantendo a glucose na corrente sanguínea.

Os problemas com o metabolismo do açúcar são apenas sintomas e não causas da doença. As pessoas saudáveis, e mesmo os diabéticos, podem e devem consumir fruta. É importante, no entanto, mudar os factores alimentares que causam a diabetes tipo 2 (principalmente a gordura saturada).

Ambos os tipos de diabetes podem ser perigosos, levando a problemas como danos nos nervos e cegueira, má circulação e risco de doença cardíaca, dificuldade de cicatrização, insuficiência renal e amputações [1]Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal. Em Portugal a taxa de diabéticos é de 13%. [2]Michael Greger, Como Não Morrer, 2016, Editora Lua de Papel

As Causas da Diabetes

Na diabetes tipo 1 (insuficiência de insulina), há muitas vezes causas genéticas, mas a gordura saturada dos animais pode afetar negativamente as células do pâncreas que produzem a insulina. A diabetes tipo 1 tem ainda uma associação estreita com o leite. Por outro lado, na diabetes tipo 2 (resistência à insulina), a gordura que está dentro das células do corpo pode bloquear o acesso da glucose que circula no sangue às células.

Na diabetes tipo 2, o consumo de gordura, especialmente saturada, leva a ciclos viciosos no mecanismo da insulina. A gordura saturada prevalente nos animais tem efeitos tóxicos, criando subprodutos que causam disfunção nas mitocôndrias, as pequenas centrais de energia das células. Esta inflamação leva a um aumento na resistência à insulina. As gorduras monoinssaturadas presentes nos vegetais tendem a ser mais facilmente desintoxicadas, ou armazenadas de forma segura, pelo corpo.[3]Lipotoxicity: Why do saturated fatty acids cause and monounsaturates protect against it?

Em indivíduos obesos, a própria gordura das células pode também derramar-se para a circulação, causando diabetes mesmo sem ingerir gorduras.

A exposição a poluentes tóxicos, que favorecem a obesidade e que se acumulam na gordura animal, como nos ovos ou peixes, ou na própria gordura do diabético, pode também ter um papel no desenvolvimento da diabetes.

Prevenir e Tratar a Diabetes

Prevalência de diabetes
Fonte: Dr. Michael Greger, Como Não Morrer, Editora Lua de Papel, 2016, p. 182

Segundo um estudo de dezenas de milhares de californianos, uma dieta à base de vegetais apresenta um risco significativamente menor de diabetes[4]Vegetarian diets and incidence of diabetes in the Adventist Health Study-2. Um vegano pode ter uma prevalência de diabetes 78% menor. Também é possível reverter a doença pela alimentação. A reversão funciona mesmo sem a perda de peso associada a uma dieta equilibrada, ou seja, são as diferenças nos nutrientes que fazem toda a diferença.

Os veganos têm ainda uma taxa metabólica de descanso 11% mais elevada – o que significa que mesmo a descansarem consomem mais energia.[5]Sympathetic nervous system activity and resting metabolic rate in vegetarians.

Parece mesmo ser possível curar através da alimentação vegana a dor causada pela neuropatia diabética.

As dietas à base de vegetais tratam a causa da doença (a ingestão de gordura saturada) e não apenas os sintomas. Além disso, não exigem controle de porções ou de calorias, como algumas dietas desenhadas para a diabetes.

Se quiser conhecer as recomendações do Dr. Greger para uma dieta equilibrada, à base de vegetais, veja este link.

ALIMENTOS PROTECTORES DOS DIABÉTICOS

LentilhasAs leguminosas (grão, feijão, lentilhas, etc.) podem ajudar a diminuir os picos glicémicos mesmo muitas horas depois de serem ingeridas, através do seu alto teor de fibra solúvel. O vinagre, a linhaça e a amla podem também ajudar a controlar os níveis de açúcar.

A especiaria curcúma, geralmente vendida nas grandes superfícies como açafrão, tem efeitos anti-inflamatórios, especialmente quando combinada com pimenta-preta. Uma alimentação à base de vegetais é naturalmente mais anti-inflamatória. Por exemplo: outros alimentos anti-inflamatórios incluem gengibrecerejas, cogumelos, e as melancias. Todos os alimentos vegetais contêm ácido acetilsalícilico (conhecido como aspirina). Os vegetais de folhas verdes podem, pela exposição do corpo à luz solar depois da ingestão, regenerar a coenzima Q10, um anti-oxidante.

Para mais informações, pode consultar o livro Como Não Morrer (em Portugal) ou Comer Para Não Morrer (no Brasil), escrito pelo médico Dr. Michael Greger, ou o seu site com vídeos traduzidos em português, onde se explica como as 15 principais doenças do mundo ocidental têm origem na alimentação dos ocidentais e como podem ser prevenidas através de uma dieta baseada em alimentos vegetais integrais não processados. Por exemplo, doenças cardíacas, hipertensãodoenças do cérebro, cancro colorretal, infecções, doenças hepáticas, insuficiência renal, etc.

Se quiser conhecer as recomendações do Dr. Greger para uma dieta equilibrada, à base de vegetais, veja este link.

Referências   [ + ]